WhatsApp
Facebook
Superlua Azul Iluminará Céu Desta Quarta-Feira (30)

Nesta quarta-feira (30), uma Superlua Azul estará visível em diversas regiões do país. Apesar do nome, a cor da Lua permanecerá inalterada. O termo “Lua Azul” é usado quando ocorre uma segunda Lua cheia em um mesmo mês.

De acordo com a NASA, a origem do termo remonta aos anos 1500 e se refere à terceira Lua cheia em uma estação que possui quatro Luas. Esta será a segunda e última superlua do ano.

O brilho máximo da Lua ocorrerá às 22h35 no horário de Brasília, mas o horário varia de acordo com o fuso horário.

O termo “superlua” não é uma definição oficial em astronomia, mas é usado para descrever o fenômeno do perigeu, quando a Lua está mais próxima da Terra e parece maior e mais brilhante.

O perigeu acontece quando a distância entre a Lua e a Terra é menor que 360.000 km. Nesse momento, a Lua fica cerca de 14% maior e 30% mais brilhante do que no apogeu, quando está mais distante.

Segundo a astrônoma Josina Nascimento, do Observatório Nacional, a melhor hora para observar a superlua é quando ela está próxima ao horizonte, logo após o pôr do sol ou antes do nascer do sol no dia seguinte. Nesse momento, a Lua pode parecer ainda maior e exibir variações de tonalidade devido às partículas na atmosfera.

“O evento de uma superlua atrai ainda mais os olhares para o céu nos ajudando a divulgar e popularizar a ciência. E, além disso, é um evento que pode ser visto por muitas horas (durante toda a noite), de qualquer lugar do mundo e por qualquer pessoa porque é visível a olho nu, ou seja, sem o uso de qualquer instrumento”, afirma Josina.

Condições para observação

A observação do fenômeno não requer equipamentos especiais, bastando olhar para o céu quando a Lua aparecer no horizonte, por volta das 18h45 em São Paulo.

As condições de observação podem variar de acordo com a localização e o clima. Algumas cidades têm condições mais favoráveis que outras. Porto Alegre tem céu limpo, enquanto cidades como Campinas, Salvador, Recife, Fortaleza, São Luís, Belém e Manaus podem ter céu parcialmente nublado. Cidades como Curitiba, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Brasília, Campo Grande e Goiânia podem ter céu nublado ou chuvoso.

Próximos eventos astronômicos

O segundo semestre de 2023 terá dois eclipses e seis chuvas de meteoros. Abaixo estão as datas de cada fenômeno:

Eclipses e Superluas

☀️ 14 de outubro – Eclipse solar anular (visível em grande parte do país);

🌗 28-29 de outubro – Eclipse lunar parcial (visível em algumas regiões).

Chuvas de meteoros

  • Draconids: ativa de 6 a 10 de outubro (pico: 8 a 9 de outubro). Pico de meteoros por hora: 10.
  • Orionids: ativa de 2 de outubro a 7 de novembro (pico: 21 a 22 de outubro). Pico de meteoros por hora: 25.
  • Orionids: ativa de 2 de outubro a 7 de novembro (pico: 21 a 22 de outubro). Pico de meteoros por hora: 25.
  • Leônidas: ativa de 6 a 30 de novembro (pico: 17 a 18 de novembro). Pico de meteoros por hora: 10.
  • Geminidas: ativa de 4 a 20 de dezembro (pico: 14 a 15 de dezembro). Pico de meteoros por hora: 150.
  • Ursids: ativa de 17 a 26 de dezembro (pico: 22 a 23 de dezembro). Pico de meteoros por hora: 10.

Foto: Marcelo Zurita.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook