WhatsApp
Facebook
Queda na produtividade média aponta para redução na safra de grãos

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou nesta terça-feira (10) o 1º Levantamento da Safra de Grãos 2023/24. A previsão aponta uma produção de 317,5 milhões de toneladas, indicando uma ligeira redução em relação à temporada anterior.

A estimativa inicial sugere uma diminuição na produtividade média, pois há indícios de um leve aumento na área total plantada, que deve superar os 78 milhões de hectares. Apesar disso, esta safra deve ser a segunda maior da história do Brasil, ficando atrás apenas do ciclo 2022/23, que atingiu um recorde de 322,8 milhões de toneladas.

A Conab destaca a necessidade de acompanhar o desenvolvimento das culturas ao longo da temporada, com a possibilidade de a produção desta safra superar a da safra anterior.

No que diz respeito às principais culturas, o arroz apresenta uma estimativa inicial de aumento, tanto na área cultivada quanto na produtividade média, resultando em uma expectativa de produção de 10,8 milhões de toneladas, um aumento de 7,7% em comparação com a safra 2022/23.

A cultura do feijão também mostra sinais de recuperação de área, podendo atingir 2,78 milhões de hectares, somando os três períodos de cultivo durante o ano-safra. A expectativa de produção total é de 3,1 milhões de toneladas, um crescimento de 0,8% em relação à temporada anterior.

Para a Conab, os produtores estão mais confiantes devido às políticas públicas do governo federal que visam estimular a produção de alimentos, como os planos safras, a retomada das compras públicas e a garantia dos preços mínimos.

Em relação à soja, principal grão cultivado no país, as estimativas apontam para crescimento na área e na produtividade, resultando em uma produção esperada de mais de 162 milhões de toneladas, um novo recorde para a cultura.

Por outro lado, a cultura do milho tem uma perspectiva de redução tanto na área plantada quanto na produtividade, levando a uma produção total esperada de 119,4 milhões de toneladas, abaixo dos números da safra passada.

Quanto ao algodão, a previsão indica aumento na área semeada e estimativa de produção de 3 milhões de toneladas de pluma.

A cultura do trigo, com cerca de 40% das lavouras colhidas, apresenta aumento de área, mas redução na produtividade em comparação ao ano anterior, resultando em uma produção esperada de 10,5 milhões de toneladas.

O comércio desses produtos também é discutido, com ajustes nas estimativas de estoques e previsões de exportação para cada cultura.

É importante ressaltar que essas estimativas estão sujeitas a alterações à medida que a temporada agrícola avança e novos dados são coletados.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook