WhatsApp
Facebook

Com o objetivo de levantar dados importantes sobre terreiros de umbanda e de candomblé existentes em Curitiba e na Região Metropolitana (RMC), foi lançado o projeto “Casas de Reza”, um acervo eletrônico que destaca o protagonismo das religiões afro-brasileiras e sua importância para o desenvolvimento cultural, histórico e econômico das cidades em que esses locais estão situados.

O cronograma do projeto consiste, principalmente, no mapeamento dos terreiros através de um site contendo informações atualizadas a respeito desses locais religiosos. O portal está disponível no endereço: casasderezacwb.webnode.page/pagina/ . O jornalista Adilson Santos também integra o projeto na função de assessor de imprensa.

Foto 1 1 Projeto Casas De Reza Mapeia Terreiros De Umbanda E Candomblé Em Curitiba E Rmc
Lançamento Do Projeto Aconteceu No Memorial De Curitiba E Tem Direção De Hellen Bastos E Gil Rhodrigues. Foto: Luiz Woellner

O Casas de Reza deu o primeiro passo de lançamento com a apresentação presencial do portal, durante evento realizado no Memorial de Curitiba no final de novembro, que foi acompanhado por representantes dos terreiros participantes. O segundo passo ocorreu recentemente, quando o endereço eletrônico foi definitivamente disponibilizado para acesso.

“O site é como se fosse um cartão de visita! Nele, o usuário tem acesso às histórias dessas casas, a trajetória da Mãe e Pai de Santo, pode ver fotos, conferir o horário de funcionamento e festividades religiosas, além do recurso “como chegar” – ferramenta oferecida pelo aplicativo Google Maps. É um misto de informações completas”, explica uma das precursoras e diretora do projeto, Helen Bastos.

O diretor de produção, Gil Rhodrigues, pontua que o projeto busca a valorização das religiões-afros a fim de preservar essa cultura. “O projeto se caracteriza pela disseminação da pluralidade religiosa, propiciando o acesso da população a um vasto patrimônio imaterial dos terreiros e da trajetória de seus dirigentes. Outro aspecto que buscamos também é chamar a atenção do poder público para o fortalecimento e diálogo com essas comunidades”.

Foto 2 Projeto Casas De Reza Mapeia Terreiros De Umbanda E Candomblé Em Curitiba E Rmc
Pai Marcos Destaca Que O Trabalho Contribui Para A Promoção Do Respeito Às Religiões Afros. Foto: Luiz Woellner

Rhodrigues justifica o projeto como instrumento de defesa da coletividade dessa comunidade religiosa, visando coibir danos causados por preconceito e toda forma de intolerância. “O combate ao racismo e à discriminação que remontam e rotulam as religiões de matriz africana, desde o Brasil colônia, tem tido poucos avanços. Ainda vemos casas sofrendo violência pelo simples fato de existirem. Nosso projeto foi pensado nesse contexto: combater a intolerância religiosa e, ao mesmo tempo, oferecer às pessoas a oportunidade de se aprofundarem sobre o assunto com histórias das casas existentes em suas cidades”.

Pai Marcos, um dos participantes do projeto, destaca que o trabalho contribui para a promoção do respeito às religiões afros. “Eu considero fundamental o projeto em função de que nós, candomblecistas, sempre tivemos problemas de intolerância religiosa, então a iniciativa tem esse condão de culturalmente quebrar essa ideia sobre nossa religião”.

Mãe Josianne D’óde, responsável por um terreiro no bairro Cajuru, em Curitiba, é outra participante do projeto. Ela acredita que a iniciativa chegou para dar visibilidade às religiões de matriz africana. “A comunidade candomblecista e a comunidade umbandista têm muito a ganhar. É uma oportunidade das pessoas que ainda não nos conhecem, entenderem que nossas casas são frequentadas por pessoas comuns, que nossas vivências são tão religiosas quanto de outras religiões que existem”.

Foto 3 Projeto Casas De Reza Mapeia Terreiros De Umbanda E Candomblé Em Curitiba E Rmc
Mãe Josianne D’Óde Acredita Que A Iniciativa Chegou Para Dar Visibilidade Às Religiões De Matriz Africana. Foto: Luiz Woellner

Futuro do projeto

A ideia nesta primeira fase do projeto é que o site dê destaque inicial a pelo menos 10 terreiros mais antigos em atividade na região da Grande Curitiba. No entanto, o intuito futuro dos diretores Helen Bastos e Gil Rhodrigues é expandir esse mapeamento e incluir outros locais religiosos mais atuais, tidos como os frutos das ramificações dessas casas mais experientes. Na aba “contato” do portal os dirigentes dos terreiros não inclusos podem mostrar interesse em participar do projeto.

Equipe

Helen Bastos – diretora de produção

Gil Rhodrigues – diretor de produção

Gustavo Saldanha – designer gráfico

Clauba Mendonça – web designer

Adilson Santos – jornalista (assessoria de imprensa)

Luiz Woellner – fotógrafo

O projeto

O projeto Casas de Reza é uma realização da GH Produções, e é idealizado com recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook