WhatsApp
Facebook
Imagem de destaque - Problemas respiratórios em crianças aumentam em Curitiba, hospital orienta quando buscar por serviços de emergência

Devido à variação de temperaturas, o outono aumenta a ocorrência de doenças respiratórias e alérgicas. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA/PR), as mais comuns nesta época incluem gripe (influenza), resfriado, otite, sinusite e pneumonia.

Em fevereiro, o Hospital Pequeno Príncipe, principal hospital pediátrico do país, registrou 30 casos de influenza. Em março, o número saltou para 348, representando um aumento de mais de 1000%. Nos primeiros 8 dias de abril, 3,1 mil crianças e adolescentes foram atendidos nos Serviços de Emergência da instituição, o que corresponde a 25% dos atendimentos de março.

O infectologista pediátrico Victor Horácio de Souza do Pequeno Príncipe observa que o cenário também pode ser afetado por doenças respiratórias causadas por diferentes vírus, indicando que desde a pandemia, não há mais sazonalidade nesses vírus.

No Hospital Pequeno Príncipe, as crianças são atendidas de acordo com a classificação de risco, visando otimizar o atendimento dos casos mais graves. Os pais devem procurar atendimento emergencial em casos como quedas, cortes profundos, afogamentos, ingestão de corpo estranho, desmaios, febres persistentes, vômitos e diarreia persistentes, e falta de ar.

O acompanhamento pediátrico regular ajuda a evitar idas desnecessárias à emergência hospitalar. Nem toda febre necessita de atendimento hospitalar, sendo importante consultar o pediatra da criança para orientações adequadas.

Algumas medidas preventivas incluem manter a imunização em dia, manter os ambientes limpos e arejados, incentivar a higiene das mãos, lavar as narinas com soro fisiológico, adotar uma alimentação equilibrada e manter a hidratação adequada.

O Hospital Pequeno Príncipe, sediado em Curitiba (PR), é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que oferece assistência hospitalar pediátrica há mais de 100 anos. É referência nacional em tratamentos de média e alta complexidade e promove a maior parte dos atendimentos via Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2023, realizou cerca de 228 mil atendimentos ambulatoriais, 20 mil cirurgias e 307 transplantes.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook