WhatsApp
Facebook
Pastre sai da Recuperação Judicial para uma nova era de modernidade e alta tecnologia

Uma das mais importantes indústrias de Quatro Barras e do Brasil saiu da Recuperação Judicial (desde março de 2023) e alça novos vôos.

Estamos falando da Indústria Metalúrgica Pastre que, além de vencer um período difícil de sua existência, passa a gerar novamente mais empregos, tecnologia, novos produtos.

O diretor Lauro Pastre Junior, um dos filhos do fundador da empresa, destaca que a crise começou no final de 2008 a nível mundial com a bolha de crédito imobiliário dos bancos americanos. No Brasil, o Governo Lula, para sair da dificuldade econômica, os juros do BNDES foram reduzidos para 2% ao ano. “Foi uma política acertada”, diz Lauro, “foi o remédio certo, mas, como tal, não deveria passar da dose. Com dinheiro barato, o setor dos transportes e semirreboques foi se expandindo além da demanda”.

“Depois veio a crise com a Petrobras, a Copa do Mundo, a Lava Jato e no Governo Dilma ocorreu a substituição do Ministro da Fazenda Guido Mantega por Joaquim Levi. O BNDES estava sem lastro e o juro real passou de 6% para 14%. Antes, o financiamento era de 100%, passando a ser de 70%”.

Segundo Lauro Pastre, no decorrer de 2015, a crise política se alastrou e ocorreu o impeachment de Dilma Roussef. “A Economia sangrava. O emplacamento de carretas no país, que era de 54.397 em 2008, passou para 38.292 em 2009, subiu para 59.000 em 2010 e chegou a 70.000 em 2013. Depois caiu para 56.000 em 2014, 29.626 em 2015, 23.079 em 2016 24.993 em 2017.

Na Pastre

Para Lauro Pastre, a crise na empresa se instalou porque achava-se que, como as outras ocorridas no Brasil, a fase de dificuldades seria curta. “Fomos otimistas e em 2018 entramos com o plano de recuperação judicial, com o alongamento da dívida, de curto para longo prazo, captação de dinheiro em bancos de 2ª linha, etc”.

Na época, a Pastre tinha 500 funcionários em 2014, passando a ter 80 em 2018. “Foi um momento muito difícil, tendo que desfazer uma estrutura existente, mas, acima de tudo, despedir nossos colaboradores. Eles entenderam a situação, mas houve muito choro e lágrimas nesse processo”- continua Lauro. “Foram longos 3 anos, com queda de 60% na produção”.

Aos poucos, o mercado deu sinais de reação no Governo Michel Temer e Bolsonaro, quando o mercado nacional atingiu 90 mil carretas em plena pandemia. Lauro Pastre prevê que em 2023 o mercado alcance entre 75 a 80 mil carretas emplacadas.

Recuperação

Como se disse, a Pastre, passada a fase da Recuperação Financeira, voltou à ativa em sua plenitude. “Como toda a crise, tiramos lições do que passamos”, avalia o diretor.

A Pastre está no momento com 300 colaboradores – e não precisa de mais, atualmente, porque modernizou bastante seu parque industrial. Estão ali novas máquinas (corte de chapa a plasma, robôs de solda), ao mesmo tempo em que se investe em sistema de produção – manufatura enxuta, lean manufacturing – e em softwares de engenharia.

O parque industrial às margens da BR-116, em Quatro Barras, tem uma área de 92.000 m2. Saem dali produtos para mineração, pesados, especiais, agrícolas, para construção civil, para distribuição de alimentos. A variedade é imensa: caçamba basculante pistão frontal, caçamba basculante meia cana, semirreboque basculante, semirreboque basculante meia cana, semirreboque basculante Slider, semirreboque bitrem basculante, semirreboque rodotrem basculante, semirreboque carrega tudo plano (2 a 7 eixos), semirreboque carrega tudo rebaixado (2 a 7 eixos), semirreboque carrega tudo pescoço removível (2 a 7 eixos), semirreboque carrega tudo colheitadeira (2 a 7 eixos), carroceria florestal.  E, como está sempre em busca de inovação, novos produtos podem surgir a cada dia.

A História da Pastre

A Pastre tem uma longa história (50 anos em 2024) de pioneirismo, muito trabalho, abnegação, persistência. Tudo começou com um filho de agricultores de Araras, SP, cuja vocação era a mecânica. Migrou para Curitiba e abriu uma oficina na rua Padre Anchieta, quando aprendeu a soldar e a fabricar terceiro-eixo para os caminhões que passavam por ali. Era a Oficina Pastre, que daria origem à Indústria Metalúrgica Pastre e que fabricava o 3º Eixo Veicular Auxiliar (truck arrastão). Em 1976, começou a fabricar caçambas basculantes. Certificada no INMETRO, começou em 1983 a fabricar reboques e semirreboques.

Já a Pastre que chegará aos 50 anos em 2024 tem um histórico de muitas inovações. Em 2001 revolucionou o mercado com a criação do Bitrem Basculante. Em 2005 trouxe para o Brasil a tecnologia de produção de implementos rodoviários com aços de alta e altíssima resistência. Em 2006 a empresa recebeu o prêmio internacional “Swedish Steel Prize” pela inovação, com a qual reduziu a tara/peso do Bitrem Basculante em 2 toneladas. Em 2010 lançou o Semirreboque Basculante Slider.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook