WhatsApp
Facebook
Paranaenses contribuem para a conquista do ouro do Brasil na Copa do Mundo de Ginástica Rítmica

As atletas paranaenses Bárbara “Babi” Domingos, Nicole Pircio e Giovanna Silva, juntamente com a técnica Márcia Naves, todas bolsistas do programa Geração Olímpica e Paralímpica, e também a técnica Camila Ferezin e a professora de ballet Bruna Rosa ajudaram a seleção brasileira a fazer uma campanha histórica na Copa do Mundo de Ginástica Rítmica, disputada em Cluj-Napoca, na Romênia, entre os dias 14 e 16 de julho.

A seleção conquistou quatro medalhas: ouro na prova mista, prata no exercício com cinco arcos, bronze no individual geral, além do bronze individual de Barbara Domingos na fita. Foi a primeira vez que o Brasil trouxe mais de uma medalha em uma mesma etapa de Copa do Mundo desta modalidade.

O programa Geração Olímpica e Paralímpica, desenvolvido pela Secretaria do Esporte do Governo do Estado, é o maior programa de bolsa-atleta de nível estadual. Agora em sua 12ª edição, já investiu cerca de R$ 50 milhões em apoio financeiro a atletas e técnicos paranaenses, com o patrocínio exclusivo da Copel, atendendo de jovens promessas a estrelas de renome internacional.

Márcia Aversani, presidente da Federação Paranaense de Ginástica e integrante do comitê técnico da Federação Internacional de Ginástica, destaca o sucesso da seleção na Copa do Mundo, do trabalho árduo que vem sido desenvolvido ao longo dos anos e a relação do Paraná com a ginástica rítmica.

“A ascensão da modalidade no Brasil é um trabalho de muito anos e de muitas pessoas, várias delas aqui do Paraná. Hoje a seleção de conjuntos é conduzia pela Camila Ferezin, com o auxílio da Bruna Rosa, ambas de Londrina. Temos a Babi, a Nicole e a Giovanna se destacando, a Márcia Naves que não é paranaense mas trabalha há muitos anos em Curitiba”, afirma.

Segundo ela, a referência do Estado na modalidade é importante para as novas gerações.  “São várias pessoas do Paraná envolvidas nesse sucesso da ginástica rítmica, e isso é muito bom para as nossas futuras gerações de ginastas, que podem ver que há um caminho a ser seguido. Agora o Brasil está rumo à vaga olímpica de Paris e o sonho de estar em pódios internacionais se tornou realidade”, acrescenta.

Quatro conquistas

No individual, Babi Domingos conquistou o bronze na fita, ao som de “Bad Romance”, de Lady Gaga, com a nota 30.250. No conjunto, no qual as ginastas Nicole e Giovanna fazem parte, o Brasil conquistou o ouro na prova mista (fitas e bolas) com a nota 31.700, e a prata no cinco arcos, com 34.450. Por fim, a seleção brasileira conquistou o bronze no individual geral.

A londrinense Nicole Pircio comentou que a conquista na Copa do Mundo é um combustível para chegar até o Campeonato Mundial, que acontece em agosto. “Estou muito feliz e muito realizada porque temos a certeza de que estamos no caminho certo para o nosso grande objetivo, trabalhamos muito para chegar bem nessas competições que antecedem o Mundial, então esse resultado nos deixa ainda mais fortes e querendo mais”, complementa.

A treinadora do conjunto, Camila Ferezin, comemora a medalha e execução das atletas na série. “Fiquei muito feliz, porque essa série estava entalada, vínhamos cometendo muitos erros, mas ver o resultado de tanto trabalho finalmente ser coroado, às vésperas de um Mundial pré-olímpico, me tocou muito”, finaliza. 

A paranaense Dayane Camillo, atleta olímpica, também enfatizou a importância da conquista. “Fico muito feliz em ver o Brasil novamente no topo do mundo nesta modalidade porque desde as Olimpíadas de 2004, em Atenas, quando fomos finalista, o Brasil não tinha tido o êxito que as meninas vêm tendo esse ano. Não tenho dúvidas que elas vão conseguir a vaga para Paris”, afirma.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook