WhatsApp
Facebook
Paraná registra criação de 54 mil novos empregos com carteira assinada no primeiro quadrimestre

Paraná registra crescimento significativo na geração de empregos formais em abril, impulsionando o saldo positivo de mais de 54 mil postos de trabalho criados no primeiro quadrimestre de 2023, de acordo com os dados do Caged divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Abril apresentou o melhor desempenho para o mês nos últimos quatro anos e marcou o terceiro mês consecutivo de altas. Após a queda acentuada em 2020 devido à pandemia, o Estado mostrou uma recuperação notável, com a geração de 9.429 empregos formais em abril deste ano, seguindo as 9.153 vagas criadas no mesmo período de 2021 e as 8.925 em 2022.

O setor de serviços teve um desempenho destacado em abril, gerando 3.367 novas vagas, com ênfase nos segmentos de administração, educação, saúde, serviços sociais, transporte e armazenagem. A indústria, com 2.611 contratações, o comércio com 1.592 vagas e a construção civil com 1.536 também contribuíram positivamente para os resultados.

Os números do Caged revelam ainda que, até o final de abril, o Paraná contava com 2,97 milhões de trabalhadores atuando de maneira formal nos 399 municípios do estado.

Últimos doze meses

Paraná lidera a geração de empregos na região Sul do Brasil, com um saldo positivo de quase 108 mil admissões em relação às demissões nos últimos 12 meses, de acordo com o mesmo levantamento. Essa marca supera o desempenho do Rio Grande do Sul, que teve 91 mil contratações, e Santa Catarina, com um saldo de 76 mil vagas no mesmo período.

O desempenho do mercado de trabalho no Paraná é notável, equivalendo praticamente a toda a região Norte do país, composta por sete estados, que somaram 110 mil empregos com carteira assinada entre maio de 2022 e abril de 2023. Em âmbito nacional, o estado fica em 4º lugar no saldo dos últimos 12 meses, ficando atrás apenas de estados mais populosos como São Paulo, com 526 mil empregos, Minas Gerais, com 186 mil, e Rio de Janeiro, com 178 mil.

Cidades

No cenário municipal, Maringá, localizada na região Noroeste, obteve o melhor desempenho do mês, com um saldo de 600 novos empregos, enquanto a segunda colocação ficou com Guarapuava, no Centro-Sul, com a geração de 502 vagas. A região Oeste também contribuiu com resultados positivos para o Paraná, com destaque para Cascavel, que registrou a criação de 486 vagas, seguida por Foz do Iguaçu, com 476, e Toledo, com 420. Na Região Metropolitana de Curitiba, os melhores resultados foram observados em Pinhais, com 436 vagas, e São José dos Pinhais, com 402.

Ao considerar o desempenho ao longo do primeiro quadrimestre de 2023, a liderança na geração de empregos no Paraná é da capital, Curitiba, com um saldo de 8.025 vagas. Em segundo lugar está Londrina, na região Norte, com 3.335 empregos, seguida por Maringá, no Noroeste, com 2.600, São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, com 2.404, Cascavel, com 2.223, e Toledo, com 2.220, ambos na região Oeste. Pinhais, também na Região Metropolitana de Curitiba, registrou 2.120 vagas.

Melhor remuneração

Além do aumento no número de paranaenses empregados com carteira assinada, também ocorreu um aumento na remuneração pelos trabalhos desempenhados. Segundo dados do Caged, o salário médio para profissionais recém-admitidos no estado, durante o período de março a abril de 2023, foi de R$ 1.981,62, apresentando uma variação relativa de 2,02%.

A remuneração média inicial dos paranaenses está entre as mais altas do país, ficando atrás apenas de São Paulo (R$ 2.319,57), Distrito Federal (R$ 2.118,01), Rio de Janeiro (R$ 2.108,57) e quase empatada com o estado vizinho de Santa Catarina (R$ 1.987,66).

Caged

Em abril de 2023, foram registradas 1,86 milhão de admissões e 1,68 milhão de desligamentos em todo o Brasil, resultando em um saldo de 180 mil empregos. Atualmente, o país conta com 43,1 milhões de brasileiros trabalhando com carteira assinada.

Foto: Gilson Abreu/AEN.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook