WhatsApp
Facebook
Nova restinga de Matinhos terá 600 mil mudas de árvores nativas em área ampliada de 100%

O projeto de revitalização da orla de Matinhos, no Litoral do Paraná, está proporcionando um reforço significativo à vegetação de restinga na região. Com a meta de plantar 600 mil mudas nativas, a área total de restinga será ampliada de 2,5 para mais de 5 hectares. Esse processo, que já está em andamento há pouco mais de um ano, tem previsão de conclusão no segundo semestre de 2024.

Em parceria com o consórcio Sambaqui, um grupo de empresas responsável pelo projeto após licitação pública, o Instituto Água e Terra (IAT) tem realizado ações para o replantio das mudas ao longo dos 6,3 quilômetros de faixa de areia, que compreendem o trajeto entre o Morro do Boi e o Balneário Flórida.

Até o momento, já foram plantadas 287.736 mudas de diferentes espécies, o equivalente a 48% do total planejado. Porém, parte das ações precisou ser embargada após uma decisão judicial em resposta a um pedido do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O Governo do Paraná, através da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), está recorrendo dessa decisão.

O investimento na recuperação e ampliação da flora na região é de R$ 268 mil, e essa ação faz parte do pacote completo de modernização da Orla de Matinhos, cujo orçamento total é de R$ 314,9 milhões.

O plantio das mudas nativas de restinga não apenas contribui para a vida útil e estabilidade da orla, mas também auxilia no combate à erosão eólica nas áreas do entorno e incrementa a biodiversidade local. Espécies como Blutaparon, Canavalia, Hydrocotyle e Ipomea, próprias para o crescimento nas dunas, foram transplantadas para os locais indicados no planejamento, sendo retiradas de outros pontos de restinga do litoral paranaense.

O trabalho de replantio também considera a arborização da região, com a inclusão de 800 mudas de Jerivá (Syagrus romanzoffiana) e 8.100 mudas de Clusia (Clusia Fluminensis), que funcionam como cerca-viva para delimitar e proteger a área de restinga e serão removidas parcialmente após a conclusão do projeto.

Essa revitalização tem trazido impactos positivos para a fauna local, que passou a contar com maior diversidade de espécies de vegetação. A presença de aves como quero-quero (Vanellus chilensis) e corujas-buraqueiras (Athene cunicularia), que constroem ninhos nas novas plantas, já é notável.

Embora parte dos locais esteja ainda em desenvolvimento, os canteiros com as novas mudas estão sendo demarcados com placas informativas para auxiliar na proteção dessas espécies e garantir a integração harmoniosa ao ecossistema da restinga.

A obra de revitalização da orla de Matinhos é realizada em duas etapas, com um valor total de R$ 500 milhões. A primeira fase, com orçamento de R$ 314,9 milhões, está 80% concluída e tem previsão de entrega até o segundo semestre de 2024. Nessa etapa, são realizados serviços de engorda da faixa de areia por meio de aterro hidráulico, construção de estruturas marítimas semirrígidas, canais de macrodrenagem e redes de microdrenagem. Além disso, a pavimentação asfáltica e recuperação de vias urbanas também são contempladas.

O objetivo da revitalização é minimizar os impactos causados pelo desequilíbrio de sedimentos, ocupações mal planejadas e fenômenos naturais, como chuvas fortes e ressacas, que frequentemente afetam o Litoral. Ao todo, serão feitas intervenções ao longo de 6,3 quilômetros, entre o Morro do Boi e o Balneário Flórida. Uma segunda etapa, que ainda não tem previsão de data, visa recuperar o trecho de 1,7 quilômetro entre os balneários Flórida e Saint Etienne, incluindo a instalação de novos equipamentos urbanos, como ciclovia, pista de caminhada e corrida, pista de acessibilidade e calçada.

Foto: IAT.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook