WhatsApp
Facebook
Governo apresenta caderneta de saúde do idoso e novas versões para crianças e gestantes

Nesta sexta-feira (15), o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), apresentou três novas cadernetas de saúde para todas as idades: a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa, a Caderneta da Criança e a Carteira da Gestante. As unidades de saúde nos 399 municípios do estado agora disponibilizam esses documentos, que devem ser preenchidos durante o atendimento pelos profissionais de saúde.

O lançamento ocorreu durante o evento “Paraná que Cuida – Criança, Gestante e Pessoa Idosa”, na cidade de Cascavel, região Oeste do Paraná. Gestores, profissionais de saúde, diretores e técnicos de regionais e representantes de Consórcios Intermunicipais de Saúde da macrorregião Oeste se reuniram para o lançamento. Outros três eventos semelhantes estão programados para este mês em Maringá, Londrina e Piraquara, abrangendo todas as regiões do estado.

Esses documentos representam ferramentas valiosas para o registro de informações de saúde, acompanhamento e desenvolvimento, com atualizações, orientações adicionais para as famílias e novos espaços para auxiliar no diagnóstico de condições de saúde, especialmente em crianças.

Os materiais foram desenvolvidos por equipes de especialistas da Sesa e cobrem não apenas questões de saúde, mas também políticas sociais relacionadas à assistência social e educação.

“Reafirmamos o nosso compromisso de cuidar da população paranaense em todos os ciclos de vida. Sob a orientação do governador Ratinho Junior, reforçamos as iniciativas e ações voltadas à Atenção Primária à Saúde, em conjunto com os municípios do Paraná. Este é um poderoso documento que deve estar sempre presente e atualizado,” ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Atenção ao idoso

Um destaque importante na Caderneta da Pessoa Idosa é o Índice de Vulnerabilidade Clínico Funcional (IVCF-20), que reúne informações do paciente para uma avaliação detalhada, identificando idosos frágeis e facilitando a comunicação entre pessoas com mais de 60 anos e seus cuidadores, familiares ou profissionais de saúde.

Os principais objetivos da caderneta são aumentar o controle sobre doenças e agravos e reduzir as incapacidades e dependências dos idosos, com avaliação funcional e psicossocial. O documento possui 37 páginas para o registro de atividades diárias, uso de medicamentos, hospitalizações, quedas, cuidados com a saúde bucal e informações detalhadas sobre a vida social e familiar.

De acordo com a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti Lopes, o documento deve ser apresentado em qualquer atendimento de saúde, seja em casa, na Unidade Básica de Saúde (UBS), nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), ambulatório ou hospital. “Nossas equipes da Atenção Primária não mediram esforços para que as inovações atendessem às necessidades não só dos profissionais de saúde, mas também resultassem em mais segurança e cuidado aos usuários e familiares,” disse.

Caderneta da criança

A nova versão da Caderneta da Criança inclui a escala M-CHAT-R/F, um instrumento que auxilia na identificação de sinais de risco de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em crianças de 16 a 30 meses. Além disso, o material oferece informações para pais e cuidadores de crianças com deficiência e orientações para interação social e aprendizado. Disponível em duas versões (menino e menina), a caderneta oferece mais espaço para anotações, uma nova identidade visual e orientações que permitem um acompanhamento abrangente desde o nascimento até os 9 anos de idade.

O cálculo para a distribuição do quantitativo aos municípios é baseado no número de crianças nascidas, tanto em hospitais públicos como nos privados. “Toda a criança tem o direito de receber gratuitamente a caderneta, que contém os registros mais significativos para o acompanhamento do desenvolvimento infantil e é uma das mais importantes estratégias para a redução da mortalidade infantil”, disse Maria Goretti.

Caderneta da gestante

A Carteira da Gestante traz agora uma proposta de avaliação a ser preenchida pelo profissional de saúde na consulta puerperal: a saúde mental materna. Essa mudança é um marco na avaliação da equipe de saúde, ampliando ainda mais o cuidado com a mulher durante a gestação. Além disso, a nova versão apresenta diferenciais ligados à construção do plano de parto. Reconhecida como principal instrumento do cuidado compartilhado nos três níveis da Atenção, a carteira comunica diretamente com as premissas da Linha de Cuidado Materno Infantil.

Foto: SESA-PR

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook