WhatsApp
Facebook
Detran-PR adota sistema de laudo digital para condutores com deficiências motoras

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) lançou um projeto-piloto de laudo digital para os exames realizados pela Junta Médica Especial, visando atender motoristas com deficiência motora. Com essa iniciativa, candidatos em processo de habilitação que dependem de laudos e veículos adaptados poderão acessar os resultados de forma rápida e online.

No sistema atual, os candidatos vão até uma clínica especializada, realizam o exame e, em até 15 dias, o laudo é enviado para a Ciretran mais próxima de seu endereço. Com a implementação do laudo digital, assim que o exame é concluído, o médico lança as informações no sistema e o documento fica imediatamente disponível no site do Detran-PR, acessível com níveis de segurança apropriados.

O projeto-piloto começou em 26 de setembro em duas clínicas, uma em Maringá (Noroeste) e outra em Campo Mourão (Centro-Oeste). A meta é que até novembro, todas as 16 clínicas que realizam esses exames especializados em sete cidades (Cascavel, Bandeirantes, Campo Mourão, Curitiba, Maringá, Londrina e Sarandi) adotem o laudo digital.

Essa ação é parte da transformação digital em curso no Detran-PR, destinada a tornar os serviços mais tecnológicos e acessíveis, modernizando os procedimentos. Segundo Adriano Furtado, diretor-presidente do Detran-PR, as vantagens incluem a disponibilidade imediata do laudo, eliminação de papel e maior facilidade de acesso ao serviço para a população.

Perícia

Em 2023, foram realizados 4.192 exames pela Junta Médica Especial. Os laudos físicos impressos, de duas a três folhas, são entregues em cópias para o candidato, a clínica e o Detran. Agora, todo esse processo será virtual. A perícia médica é conduzida por dois médicos especialistas em tráfego, que avaliam o motorista com foco em suas capacidades e limitações motoras ao dirigir um veículo.

“O Paraná é pioneiro com o Prontuário Eletrônico 100% digital e agora leva para a Junta Médica Especial esta facilidade que padroniza os registros, traz agilidade e mais segurança, reduz o papel e permitirá a consulta de todo o histórico do condutor”, comenta o chefe do Setor Médico do Detran-PR, Dirceu Antônio Silveira Junior.

Antes do exame especial, o usuário passa pelos exames de aptidão física e mental, que são comuns a todos os candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Somente após esses exames, o médico determina se há necessidade de realizar o exame especial. Se a deficiência apresentada impedir o condutor de operar um veículo convencional com segurança, são indicadas as adaptações necessárias.

Foto: Geraldo Bubniak / AEN

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook