WhatsApp
Facebook
Comércio no Paraná supera média nacional e cresce 3,9% em agosto comparado a 2022

O comércio do Paraná registrou um aumento no volume de vendas e na receita em agosto de 2023 em comparação com o mesmo mês de 2022, superando a média nacional. No que diz respeito ao volume de vendas, o estado apresentou um crescimento de 3,9% em relação a agosto do ano anterior, enquanto a média nacional foi de 3,2%. Quanto à receita, o comércio paranaense teve um crescimento de 3,2% na comparação entre agosto de 2022 e 2023, em contraste com o aumento de 2,3% em todo o Brasil. Esses dados foram divulgados pela Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (18).

Nos primeiros oito meses do ano, o comércio do Paraná cresceu 1% em relação ao mesmo período de 2022. Além disso, houve um aumento de 0,7% no mês de agosto em relação a julho, contrariando a média nacional, que registrou uma queda de -0,2%. No acumulado dos últimos 12 meses, o aumento no volume de vendas no estado foi de 1,2%.

Esse desempenho positivo do comércio paranaense nos oito primeiros meses de 2023 foi impulsionado por diversos segmentos, incluindo artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (11,2%), eletrodomésticos (10,2%), móveis e eletrodomésticos (4,4%), combustíveis e lubrificantes (2,1%), hipermercados e supermercados (1,4%), e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,2%).

Além do crescimento nas vendas, a receita do comércio paranaense também teve um aumento no acumulado de janeiro a agosto em relação ao mesmo período do ano anterior, com um incremento de 2,5%. Na comparação entre agosto e julho, o crescimento foi de 1,4%, superando a média nacional, que foi de 0,5%. No acumulado dos últimos 12 meses, o crescimento da receita no Paraná atingiu 5,3%.

Vários segmentos contribuíram para esse aumento de receita, incluindo artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (23,7%); hipermercados e supermercados, juntamente com eletrodomésticos (8,1%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (8%); tecidos, vestuário e calçados (3,6%); e comércio varejista (2,5%).

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) produz indicadores que permitem monitorar o comportamento do comércio varejista no país, avaliando o volume e a receita bruta de revenda nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas e cuja atividade principal é o comércio varejista.

Foto: Geraldo Bubniak / AEN

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook