WhatsApp
Facebook
Comércio de fogos de artifício registra aumento no final de ano em Curitiba

O comércio de fogos de artifício em Curitiba está em alta, indicando uma virada de ano iluminada na capital paranaense, segundo a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná (Aincofapar).

As vendas já superaram os níveis pré-pandemia, com um aumento de cerca de 22% no mercado de fogos de artifício no Paraná em 2023 em relação ao ano passado.

A próxima semana, entre os dias 25 e 30 de dezembro, deve marcar o pico de vendas, sendo a melhor do ano para o setor. Rud Aymoré, presidente da Aincofapar, aconselha que as pessoas antecipem suas compras devido à alta demanda, pois as lojas podem esgotar seus estoques.

A utilização de fogos de artifício em Curitiba segue regras claras: os fogos de tiro são proibidos, enquanto os jogos de cor estão liberados desde 2019. Essa mudança na legislação impulsionou o mercado, especialmente os fogos de cor, que têm um valor mais elevado.

Leandro Lanza, proprietário da Fogos Lanza, destaca o aumento das celebrações e reuniões desde o fim da pandemia, impulsionando as vendas em dezembro. O mercado de fogos, focado em efeitos plásticos e cores, tem crescido significativamente.

O investimento para um espetáculo pirotécnico no Réveillon pode variar, com opções desde R$ 400 até valores mais altos. A Aincofapar destaca que um bom show pode ser feito com aproximadamente R$ 400. Rud Aymoré destaca a importância de comprar em lojas idôneas, verificar as licenças necessárias e seguir as instruções de uso dos fogos para garantir a segurança.

O Corpo de Bombeiros intensifica as recomendações para evitar acidentes, incentivando a compra em lojas credenciadas e destacando medidas de segurança, como não guardar fogos em casa, seguir as orientações do rótulo do produto e não manipular fogos sob efeito de álcool, drogas ou medicamentos.

É importante ressaltar que o uso de fogos de artifício com efeitos sonoros é proibido por lei em Curitiba desde 2020, visando proteger animais domésticos, pessoas com Transtorno do Espectro Autista e idosos. O não cumprimento da legislação pode resultar em multas, variando de R$ 400 a R$ 100 mil, conforme a gravidade da infração.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook