WhatsApp
Facebook

Especializada em embalagens plásticas flexíveis, a Zivalplast completou recentemente 26 anos de operações. Com sede em Quatro Barras (PR), a empresa iniciou sua trajetória em Curitiba, tendo como sócios-fundadores os empresários Valmor Picolo e Zito Castilho.

Ao longo de sua história, a Zivalplast se tornou uma das cinco maiores empresas de produção de embalagens plásticasflexíveis do país. Dentro de seu rol de produtos estão sacos, sacolas, saco de lixo, embalagem para carnes e frios, sacolas especiais, entre outros.

Atualmente, os produtos fabricados são fornecidos para 80% dos estados brasileiros, de norte a sul, com destaques para os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Recentemente a empresa expandiu a distribuição para o Uruguai.

Fotos Zivalplast 6 1 Com Investimento Em Maquinário, Zivalplast Chega Aos 26 Anos Como Uma Das Maiores Do Setor
As embalagens fabricadas na máquina COEX são acrescidas de uma terceira camada. Foto: Adilson Santos / Jornal União

Em seu rol de clientes são mais de 500 empresas fidelizadas, do pequeno ao grande porte, além de um portfólio com milhares de produtos.

Atualmente o parque fabril da Zivalplast possui uma estrutura de 12 mil m² de área construída em um terreno de 94 mil m². O grande espaço possibilita o trânsito pesado de caminhões e bitrens, que diariamente circulam pelo pátio da fábrica. Contribuindo para e geração de renda e economia local, a empresa contribui para a geração de 400 postos de trabalho, desses 240 de empregos diretos.

Meio Ambiente

Pensando em minimizar os impactos ambientais decorrentes das sobras da produção, a Zivalplast conta com uma usina de reciclagem dentro do seu parque fabril. Todo o material plástico que poderia ser descartado durante a produção é 100% reaproveitado.

A política de reciclagem adotada pela empresa utiliza o conceito da chamada economia circular – processo de transformar resíduos ou produtos inúteis e descartáveis em novos materiais ou produtos de maior valor, uso ou qualidade. Nesse processo é feito a coleta (separação), reaproveitamento e transformação do plástico. Desde que esse sistema foi implantado, a Zivalplast zerou a produção de resíduos sólidos.

Outra preocupação da empresa em relação ao meio ambiente é com a água utilizada na produção de sacolas. Por isso, a Zivalplast utiliza o processo de reaproveitamento de água, o que possibilita economia, evitando assim desperdícios. A preocupação ambiental se entende também na utilização de tintas sustentáveis feitas à base de água para a pigmentação dos materiais plásticos produzidos.

Energia

A preocupação com o agravamento da crise energética e com um possível desabastecimento durante a produção levou a Zivalplast a adquirir geradores de energia movidos a diesel. Caso aconteça uma interrupção, o maquinário não para de funcionar.

Premiação

A Zivalplast já recebeu o Prêmio Qualidade Brasil, onde foram qualificadas as suas sacolas como a de melhor resistência e alta qualidade. Também os produtos estão certificados pelo Instituto Nacional do Plástico e ABNT.

Segurança

A empresa conta com um Plano de Ação de Emergência e Brigada de Incêndio, onde o objetivo é estabelecer regras e critérios de ação para que a empresa organize em caso de sinistro, por exemplo. Atualmente, ela tem 40 brigadistas divididos em três turnos diferentes. A cada seis meses todos os colaboradores passam por capacitação e treinamento.

Nova máquina produz em média 6 toneladas de embalagens ao dia

Maquina Carnevalli Coex De Fabricacao Nacional Foi Adquirida No Ano Passado Com Investimento Em Maquinário, Zivalplast Chega Aos 26 Anos Como Uma Das Maiores Do Setor
Máquina Carnevalli COEX, de fabricação nacional, foi adquirida no ano passado. Foto: Adilson Santos / Jornal União

Ao longo de seus 26 anos, a Zivalplast realizou importantes investimentos em maquinários com tecnologia de ponta, o que tornou o seu parque industrial um dos mais modernos do setor. O mais recente investimento nesse quesito foi de uma máquina Carnevalli COEX, de fabricação nacional adquirida no ano passado. Com capacidade de produzir até 250 quilos / hora de material, o novo equipamento corresponde em média 6 toneladas de embalagens plásticas fabricadas ao dia.

Além de acelerar a produção, outro diferencial do equipamento é a resistência do material nele confecionado. Em comparação às embalagens monocamadas, a exemplo das sacolas comuns de supermercado, as fabricadas na máquina COEX são acrescidas de uma terceira camada, o que garante à embalagem uma maior resistência e qualidade. O material é usado na indústria de empacotamento de arroz, papel higiênico, frango congelado, entre outros.

“É uma máquina mais produtiva, com maior eficiência e economia energética”, conta o supervisor de extrusão, Fernando Oliveira Lima, que disse ainda que para manuear o novo equipamento a fabricante realizou um treinamento junto aos colaboradores.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook