WhatsApp
Facebook

Os pais do pequeno Augusto Oliveira Guimarães, de 1 ano, que enfrenta problemas na audição e no desenvolvimento neuropsicomotor, estão desesperados após terem o carro furtado em frente ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, na última sexta-feira (7).

O veículo era usado para facilitar o tratamento da criança, uma vez que eles moram na Lapa, a cerca de 90 quilômetros de Campina Grande do Sul, e precisam viajar em média duas horas até o hospital. “Além das consultas agendadas no hospital, existem imprevistos que podem acontecer a qualquer momento. Sem o carro a situação está muito complicada”, lamenta a mãe do menino, Milena Delponte, que disse também que no veículo estavam a cadeirinha, roupas e o leite especial da criança.

Em conversa com o Jornal União, Milena disse que a família é humilde e depende dos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). O pequeno Augusto iniciou recentemente o tratamento no Hospital Angelina Caron, e no dia do furto, ele passou por uma consulta no período da manhã, e precisou retornar ao hospital à tarde para uma tomografia. “Tínhamos pouco dinheiro pra pagar um estacionamento particular, passamos o dia todo na cidade. Foi questão de meia-hora que a gente deixou o carro em frente ao pronto-socorro, e quando retornamos não estava mais lá”, conta Milena. 

O veículo furtado é um Corsa, de cor cinza escura, modelo 98 e placas AJU7C50. O carro foi adquirido pela família há cerca de 10 anos. O caso foi registrado na Polícia Civil da Lapa no dia seguinte (8), e segundo a família, a ocorrência foi comunicada também à Polícia Militar de Campina Grande do Sul.

A família pede para quem tiver informações sobre o veículo que entre em contato pelo telefone (41) 98799- 5364. (Falar com Milena).

Família faz apelo

Além do apelo para reencontrar o veículo furtado, a família também informou que os últimos exames médicos apontam que o bebê precisa realizar um transplante auditivo que inclui acompanhamento com fonoaudiólogo e fisioterapeuta. Todo esse procedimento custará em média R$ 60 mil, valor que a família não tem condições de pagar sozinha.

A surdez enfrentada pelo pequeno Augusto foi descoberta recentemente, após uma infecção no ouvido que se agravou, sendo necessária a internação do menor. No momento, exames e consultas estão sendo custeados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no entanto, o custo para avançar no tratamento não tem cobertura pelo sistema público.

Além da perda de audição, o bebê apresenta atraso no Desenvolvimento Neuropsicomotor, que é o processo em que, a partir de estímulos, a criança adquire determinadas habilidades. Para tentar reverter o quadro e a criança conseguir devolver um pouco das suas habilidades, os médicos recomendaram que um implante, tecnicamente chamado de Coclear, seja realizado o quanto antes.  

Para conseguir o valor de todo o tratamento que a criança tanto necessita, uma campanha online foi criada pela família. Até a tarde desta terça-feira (11), pouco mais que R$ 4 mil haviam sido arrecadados. Qualquer quantia é bem vinda e as doações podem ser feitas através do link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/vaquinha-para-tratamento-do-augusto ou pela chave pix 3156851@vakinha.com.br

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook