WhatsApp
Facebook
Campina intensifica campanha de combate à esporotricose

A Prefeitura de Campina Grande do Sul, através da Secretaria de Saúde, está intensificando seus esforços na campanha de combate à esporotricose, uma grave forma de micose que afeta gatos e pode ser transmitida para seres humanos, resultando em sérias lesões cutâneas.

A esporotricose deriva de um fungo encontrado no solo e em matéria vegetal, como cascas de árvores, palhas, farpas e espinhos. Gatos infectados propagam a doença para outros felinos e para pessoas através de arranhões, mordidas ou contato direto com a pele lesada.

Nos gatos, a manifestação clínica se caracteriza por feridas profundas, geralmente localizadas no focinho e membros, que não cicatrizam e se disseminam pelo corpo. Em humanos, as lesões surgem no ponto de contato com o animal ou com material infectado, com potencial para se alastrarem pelo corpo.

O tratamento da esporotricose é prolongado e requer supervisão veterinária para gatos e atenção médica para humanos. Caso não seja devidamente tratada, a doença pode ser fatal.

Como prevenir e combater a esporotricose?

A Secretaria de Saúde orienta os seguintes cuidados para evitar a contaminação pela esporotricose:

– Cuide da saúde do seu gato, procure sempre atendimento médico veterinário;

– Use luvas ao tocar em animais doentes;

– Jardineiros e trabalhadores rurais devem usar luvas e lavar bem as mãos após o manuseio da terra;

– Animais mortos devem ser cremados para evitar a contaminação do ambiente;

– Nunca abandone o seu animal, isso só aumenta a disseminação da doença;

– Castre seus gatos para evitar que briguem durante períodos de reprodução;

– Procure manter seu gato restrito em casa.

O que fazer se você tiver um acidente com um animal doente?

– Em caso de ferimento resultante de um animal doente (arranhões, mordidas, contato com pele lesionada), procurar a unidade de saúde próxima;

– Se deparar com um animal portador de esporotricose, isolar o animal e contatar a Vigilância Ambiental, informando dados pessoais para contato.

O endereço da Vigilância Ambiental é Rua Manoel Martins da Cruz, 389 – Centro. Telefone: (41) 3676-8199.

Situação da esporotricose em Campina Grande do Sul

De acordo com estatísticas da Secretaria de Saúde, desde o início da campanha contra a esporotricose em 2021, foram atendidos 50 casos suspeitos na cidade. Destes, dois resultaram em diagnóstico negativo e 48 foram confirmados como positivos para a doença.

A Secretaria de Saúde reitera que a esporotricose é uma enfermidade sujeita à notificação compulsória, exigindo que todos os casos sejam informados à Vigilância Ambiental. A campanha visa conscientizar a população sobre os riscos da doença e as medidas de prevenção e tratamento.

Klqmsjkdl4I Campina Intensifica Campanha De Combate À Esporotricose
Campina Intensifica Campanha De Combate À Esporotricose 1 Campina Intensifica Campanha De Combate À Esporotricose
WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook