WhatsApp
Facebook

A seleção brasileira de rugby em cadeira de rodas teve seu sonho paralímpico adiado mais uma vez. Na noite de sábado (23), o Brasil foi derrotado pela Alemanha por 62 a 50 na disputa pela terceira e última vaga nos Jogos de Paris, na seletiva realizada em Wellington, na Nova Zelândia. Os alemães, juntamente com Austrália e Canadá, que foram à final do classificatório, garantiram suas vagas na Paralimpíada da capital francesa.

A modalidade é praticada por homens e mulheres com elevado grau de comprometimento físico-motor, como tetraplégicos. Os atletas são divididos em sete classes (de 0,5 a 3,5, variando a cada meio ponto). Quanto menor a categoria, maior a deficiência. A soma das classes dos jogadores em quadra (quatro de cada lado) não pode exceder oito.

Um jogo de rugby em cadeira de rodas consiste em quatro períodos de 8 minutos (com intervalo após dois períodos) e ocorre em uma quadra com dimensões semelhantes às de basquete (15 metros de largura e 28 de comprimento). Os atletas devem ultrapassar a linha do gol adversário com as duas rodas da cadeira e a bola (semelhante à do voleibol) em mãos para marcar pontos.

O Brasil começou bem a partida, liderando o placar até os minutos finais do segundo período, quando os europeus tomaram a dianteira (24 a 23) e aumentaram a vantagem para 2 pontos antes do intervalo (32 a 30). No terceiro período, os alemães ampliaram a diferença para 9 pontos, tornando a missão brasileira mais difícil. A equipe brasileira se lançou ao ataque, mas não conseguiu reverter o jogo.

A campanha do Brasil na seletiva terminou com duas vitórias sobre Nova Zelândia e Holanda, e três derrotas para Canadá, Austrália e Alemanha, justamente as equipes que garantiram vaga nos Jogos de Paris. Esses três países se juntam a Grã-Bretanha, Dinamarca, Japão, Estados Unidos e à anfitriã, França, que já estavam previamente classificados para a Paralimpíada. Os britânicos são os atuais campeões.

Os brasileiros buscavam uma classificação histórica para os Jogos de Paris, já que a única participação anterior no evento ocorreu na edição do Rio de Janeiro, em 2016, como país-sede. Além do rugby em cadeira de rodas, o Brasil não tem mais chances de se classificar para os Jogos de Paris no basquete em cadeira de rodas.

WhatsApp
Facebook

Publicações relacionadas

Compartilhe
WhatsApp
Facebook